Na manhã desta quarta-feira 10, em Uberlândia na Rua Mangue do bairro Granada, a PM compareceu em um local encontrou várias vítimas, na janela de um apartamento no 2º andar relatando que foram deixadas trancadas dentro do prédio e não conseguiam sair.

O suspeito trancou o prédio e saiu dizendo que ia ao banco sacar dinheiro e depois comprar cigarros e retornaria, porém até aquele momento não havia retornado. Com intuito de soltar as vítimas do cárcere após sem sucesso em contato com o suspeito, cadeados foram quebrados

As vítimas relataram a PM que nesta madrugada estavam no estabelecimento comercial na Av. Afonso Pena, na companhia do suspeito e que combinaram ir até a casa do suspeito, para continuarem a beber e que fariam um programa sexual no valor de R$ 100,00 (cem reais) para cada uma.

Após combinarem o programa o suspeito de 39 anos, chamou um táxi de aplicativo e deslocaram para o endereço do fato, as vítimas no táxi e o suspeito conduzindo uma motocicleta. No local dos fatos as vítimas e suspeito beberam. E pela manhã o suspeito disse que iria sair para pegar o dinheiro do programa e também buscar cigarros, porém passadas cerca de 03 (três) horas o suspeito não havia retornado, então as vítimas desceram até o hall de entrada e verificaram que estavam trancadas no prédio e não conseguiriam sair, pois além de não possuírem as chaves não havia outros moradores no prédio.

Durante as diligências da PM ao suspeito foi localizado na casa de sua genitora no Bairro Luizote de Freitas e relatou que realmente saiu e deixou as vítimas trancadas e disse que não tinha hora pra retornar e liberá-las. O suspeito foi encontrado com visíveis sintomas de embriaguez e fala bastante desconexa, pouco inteligíveis.

As vítimas durante o cárcere privado, por motivo de protesto, arremessaram roupas e pertences do suspeito pela janela, porem os objetos ficaram jogados dentro das cercanias do prédio. As vítimas também estavam com forte odor de bebida alcoólica.

O suspeito foi preso em flagrante e encaminhado a delegacia.

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.