Em 28 de agosto de 1888, a então Villa Brejo Alegre se tornou a cidade de Araguary. Cravada no Sertão da Farinha Podre – o Triângulo Mineiro, como a região era conhecida, o município trilhou caminhos de prosperidade e agora comemora 131 anos.

Araguari é uma cidade privilegiada, importante município do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, possui uma área de 2.729 Km², sendo 97 km de área urbana e 2.632 km de área rural, ocupa o 18º maior economia do Estado de Minas Gerais, com população de 116.871 mil habitantes, está posicionada em local estratégico no eixo São Paulo – Brasília, e interligada a todo o território nacional por meio de rodovias duplicadas e ferrovias.

É um importante centro de carregamento e escoamento para a exportação da Região Centro-Sul do Brasil, através do acesso aos principais portos do país, como Santos, Rio de Janeiro, Vitória e Salvador por meio da FCA – Ferrovia Centro Atlântico S. A, que inaugurou no município uma das maiores unidades de transbordo da América Latina, além da possibilidade do sistema hidroviário – com o rio Paranaíba, que corta o município e é utilizado para o escoamento da produção, através do porto de Santa Vitória localizado a 246 km de Araguari.

Araguari tem um traçado urbanístico privilegiado, com ruas e avenidas largas, praças localizadas em pontos estratégicos por toda cidade, destaca-se no município, o Bosque John Kennedy, uma das maiores reservas florestais urbanas do Brasil, sendo um dos pontos turísticos de visita obrigatória, além do Corredor Turístico que corta a cidade.

Ainda existe em se tratando de turismo, um grande potencial aberto para a exploração consciente, possuindo mais de cem cachoeiras, além de estar localizada entre rios (Rio Paranaíba e Rio Araguari) e represas, oferecendo lazer e qualidade de vida a toda população, que contam com 100% de iluminação pública, 93% de rede de esgoto, água potável em abundancia e 95% das vias são asfaltadas.

A cidade também se sobressai pelo seu rico acervo histórico com casarios preservados da época colonial e modernista. Singulares templos religiosos que são verdadeiras obras de artes. Manifestações culturais de aspecto popular e eruditos além de contar com museus importante, como o dos Ferroviários que preserva a história do município interligada com a história da ferrovia no Brasil, localizado no Palácio dos Ferroviários antiga estação de passageiros da Estrada de Fero Goiás, ponto turístico muito visitado pela sua arquitetura e imponência, e atual sede da Prefeitura Municipal.

A educação se destaca no cenário nacional pela inclusão adotada nas escolas do sistema educacional municipal, Araguari possui um sistema de educação com 60% de escolas estaduais e escolas municipais, as quais atendem aproximadamente 100% das crianças de 06 meses a 5 anos matriculados nos C.M.E.I.s e 40% de escolas particulares de ensino fundamental e médio. Além de contar também com várias escolas de ensino técnico, informática, agrícola, mecânica, música, teatro e outras. O SESI, SENAC E SENAI possuem um importante papel na profissionalização da mão de obra no município.

Mas desde 2005 em termos de educação, o que mais tem chamado à atenção de um grande número de pessoas é o crescimento da cidade na área de Ensino Superior. Araguari conta hoje com o Instituto Máster de Ensino Presidente Antônio Carlos – IMEPAC, que oferece vários cursos de graduação e pós-graduação, entre esses o curso, o de Medicina com uma infraestrutura com o maior centro de simulação realística da America Latina e em breve um hospital escola, já em construção, com vestibular semestral oferecendo 60 vagas por semestre.

Araguari possui um comércio forte com grandes lojas de rede, como o Mart Minas, Lojas Americanas e diversas franquias nacionais e internacionais, Instituições bancarias privadas, federais e cooperativas, como: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco, Sicoob Aracoop e outros.

A cidade é posicionada no ranking dos municípios Brasileiros (PIB) – Produto Interno Bruto, acima de vários municípios com população superior. Colocação garantida através da sua produção, que chegam, em média, 600.000 sacas/ano (com 90% de suas lavouras irrigadas) produzindo um dos cafés de melhor qualidade do Brasil e do mundo, tanto no tipo, quanto no sabor, são 20.000 hectares com 42 milhões de covas, além de extensas áreas com lavouras de soja, laranja, milho, arroz, tomate, feijão, maracujá, acerola e uva que são colhidas e processadas pela indústria local, o que inclui três das maiores empresas de suco do país, sendo elas Britvic ebba (Maguary e Dafruta) IBS (Izzy) que produzem 70 % dos sucos consumidos no Brasil.

E possui base sólida na pecuária, com um rebanho misto de 150 mil cabeças de gado, destacando os três frigoríficos que completam um forte setor agropecuário altamente competitivo, dentre eles, um especializado em carnes de equídeos (cavalos, mulas, burros, jumentos entre outras) para consumo humano.

Na área de segurança Araguari conta com a presença do 53º Batalhão da Polícia Militar, 4ª Delegacia Regional de Policia Civil, 2ª Cia do Corpo de Bombeiros, Policia Rodoviária Federal, Policia Rodoviária Estadual além de uma unidade do Exército Brasileiro, o 2º Batalhão Ferroviário.

“Infraestrutura, qualidade de vida, educação de qualidade, segurança e condições de inovação, são os principais elementos que qualificaram Araguari como um pólo. Em 131 anos crescemos muito e iremos crescer ainda mais”, destacou o Prefeito, Marcos Coelho.

Araguari – passado glorioso, futuro promissor

O primeiro documento que menciona a região onde está situada a cidade de Araguari, é o Alvará de 4 de abril de 1816, quando o Rei Dom João VI ,( que residia no Brasil desde 1808 quando fugiu da invasão de Napoleão a Portugal, com toda família Real Portuguesa). O referido alvará criou a Comarca de Paracatu, e o Julgado do Desemboque passou a pertencer à Capitania das Gerais e a Comarca de Paracatu.

Nesse contexto que, o Comissário de Sesmaria da Região do Triangulo Antônio de Resende Costa o “Major do Córrego Fundo”, demarcou entre outras as sesmarias do Serrote (hoje Fundão) e da Pedra Preta (hoje Cunhas- Região do Rio Jordão), O Major doou à Igreja Católica, um terreno situado no platô entre as duas sesmarias como patrimônio da Freguesia que ali se estabeleceu.

Surge a primeira capelinha e em torno dela as primeiras residências formando o Arraial de Ventania, até que no ano de 1840 foi criado pela Lei Provincial Nº 1847, de 2 de abril a Freguesia do Brejo Alegre, segundo o Livro de Tombo da Paróquia escrito pelo então vigário Padre Joaquim Augusto de Souza Amorim, o primeiro a relatar a História da Paróquia do Senhor Bom Jesus da Cana Verde que aqui se instalou transferida da Aldeia de Sant’Anna do Rio das Velhas hoje Indianópolis.

As atividades religiosas atraíam pessoas da região, o que possibilitou, no entorno, um desenvolvimento urbano e comercial. Até que foi elevado à categoria de município, desmembrado do município de Bagagem (Estrela do Sul) em 19 de outubro de 1882 pelo Decreto nº 2996 sancionado pelo Presidente da Província (Hoje corresponde ao Governador do Estado) Dr. Theophilo Ottoni. Em 31 de março1884 foi elevado à categoria de Villa.

Para tal, os habitantes tinham que fornecer à província os edifícios exigidos por lei: Cadeia Pública, Câmara Municipal e Escola para ambos os sexos, além de apresentar os ofícios de Justiça criados por lei. O crescimento constante da comunidade fez a Câmara, em 1887 mandar um ofício à Assembleia Provincial de Minas Gerais pedindo a elevação da vila à cidade, não sendo atendida. Neste processo, o Padre Lafaiette de Godoy se destacou entre os que lutaram pela emancipação do município, estando presente nas comissões, fortalecendo influências até que em 02 de julho de 1888, quando ocorre a elevação à cidade.
Na data de 05 de agosto de 1888, o Deputado Severo de Resende Navarro, por meio de uma emenda, dá o nome de Araguary ao município, sendo que o motivo para esta nomeação não fica bem claro, uma vez que o discurso dele não fora encontrado para esclarecimentos. Especula-se que foi uma confusão e que Patos de Minas – MG ganharia o nome em homenagem ao Coronel Antonio Dias de Maciel que após receber da Princesa Isabel, o titulo de Barão de Araguary, passou a residir nesta cidade. Outros afirmam que é referente à existência de grande quantidade de periquitos muito comuns nesta região de Araguari.

Em 28 de agosto de 1888, acontece o sancionamento da lei, realizado pelo Barão de Camargo, dando por definitivo a elevação da vila de Brejo Alegre à Cidade de Araguary.

A modernidade chega pelos trilhos.

Em 1896, alguns anos depois da elevação à cidade, os trilhos da Cia. Mogiana de Estradas de Ferro – CMEF chegam a Araguari, vindos de São Paulo, estabelecendo uma ligação entre Rio de Janeiro até o Oeste das Minas, entreposto para se alcançar o estado de Goiás e o Centro Oeste brasileiro.

Assim, a linha tronco da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro alcança Araguari-MG gerando uma nova dinâmica econômica, cultural e espacial. A cidade passa a crescer rapidamente, ocupando todo o vale do Brejo Alegre. Novas ruas são abertas. O comércio prospera impulsionando outros setores da economia e uma sociedade urbana se efetiva. Preparando a cidade para o grande crescimento que a ferrovia presenciou durante o início do século XX, o engenheiro ferroviário, Achiles Widulick, foi o responsável pela elaboração de um projeto de ordenação do crescimento urbano solicitados pela Câmara Municipal e pelo Agente do Executivo.

Em 1895 este engenheiro ferroviário, responsável pelo trecho em construção da Cia. Mogiana entre São Pedro do Uberabinha, (hoje Uberlândia) e Araguari, elaborou a primeiro traçado urbano da cidade. A Câmara aprovou-o pela Lei n° 11 e três anos depois, em 1898, a Lei n. 50 determinou o alinhamento, o nivelamento e a demarcação de praças, ruas e avenidas da cidade, antes identificadas por números.

Em 1908 foi instalado o primeiro telefone em Araguari, tendo a cidade, em 1910, energia elétrica e um cinema. A produção de energia da Usina do Piçarrão, atendia à demanda do município e ainda cedia uma parcela para Uberlândia.

A Estrada de Ferro Goyaz teve seu marco zero em Araguari permitindo a ligação entre os estados de São Paulo, Minas e Goiás. Assim, a sede da EFG se estabelece em Araguari, uma vez que a estação final da Mogiana ficou em Minas Gerais. Um potente entroncamento ferroviário se estabelece potencializando a já dinâmica evolução da cidade.

A inauguração do primeiro trecho ferroviário da EFG se deu no ano de 1906, o início do serviço de locação do ramal da ferrovia que ligaria Araguari à cidade de Catalão continuando o período de investimentos na localidade. Inúmeras famílias imigraram para o município, contribuindo com aspectos de suas culturas, que passaram a ser absorvidos pelo meio social de Araguari, tanto nas relações do dia a dia quanto nas edificações, espaços públicos e comércio em geral.

O trem de ferro substitui o carro de boi e o cavalo nas longas viagens, multiplicando o poder de transporte de mercadorias. A água encanada foi possibilitada com a chegada de canos e material hidráulico pelos trens.

O Futuro já acontece em Araguari

O Desenvolvimento industrial e comercial é uma das principais características de Araguari, nestes 131 anos. Localizada estrategicamente no eixo São Paulo / Brasília, o município conta com empresas de alta tecnologia e produtividade que são referencias nacionais e internacionais, dinamizando ainda mais a economia da cidade que é a 18ª maior de Minas Gerais, e ocupa o 13º lugar em qualidade de vida do Estado.

Araguari apresentou um saldo positivo na geração de emprego em 2018 e continua sendo destaque na criação de novos postos de empregos em 2019, através de dados do Ministério do Trabalho, que mostram que a construção civil foi o setor que menos demitiu e mais contratou na cidade.

Minas Gerais teve um destaque importante no relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, do Ministério da Economia, e Araguari teve um papel importante nesta colocação, uma vez que, apenas na construção civil teve 832 contratações, fato devido aos incentivos do município para a implantação de novas empresas e empreendimentos no município.

“Recebermos o destaque como cidade que mais gerou empregos, superando cidades importantes do Triângulo Mineiro e de Minas Gerais acima de 100 mil habitantes, tais como Patos de Minas, Uberaba, Patrocínio, Uberlândia, Betim e Juiz de Fora que é motivo de grande orgulho para todos os araguarinos e também para quem hoje investe em nosso município, temos cerca de R$506.000.000,00 em capital investido através de novas empresas que estão em construção, esse montante mostra o quanto nossa cidade é ideal para o investimento de grandes empreendedores nacionais e internacionais”, ressaltou o Prefeito Marcos Coelho.

Um novo chamariz para as empresas investirem em Araguari foi à municipalização do Distrito Industrial, o que vem de encontro à simplicidade para a instalação de novos empreendimentos na cidade, justamente pela falta de burocracia, uma vez que todo o processo pode ser executado no próprio município.

“Araguari tem uma história repleta de momentos singulares, desde a sua fundação até nos dias atuais, e cada araguarino trabalha para que essa realidade continue diuturnamente. Estamos comemorando, neste dia 28 de agosto, 131 anos de um passado glorioso e o futuro que já acontece em Araguari. Tenho a certeza que nossa cidade irá se destacar ainda mais no cenário nacional e até mesmo internacional. Temos uma localização geográfica estratégica, empresas e indústrias multinacionais que acreditaram em nossa força, potencial e mão de obra, temos água de qualidade e em abundancia, agora com 93% do nosso esgoto tratado e em breve teremos muitas outras infraestruturas que farão parte da nossa cidade. Juntos iremos manter Araguari nos trilhos da prosperidade e do desenvolvimento”, destacou o Prefeito Marcos Coelho.

FOTOS: ASCOM – SECRETARIA DE GABINETE

Deixe seu Comentário! (Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site).

GRUPO WHATSAPP