Compartilhe:

A Polícia Civil/MG, o Ministério Público de Minas Gerais e a Receita Federal deflagraram na manhã desta terça-feira a Operação Ouro Verde. A origem desta operação ocorreu em fevereiro de 2019, quando alguns cafeicultores do município de Três Pontas/MG denunciaram um suposto desvio de grãos de café que estavam depositados em um armazém da região.
No curso da investigação, foram identificados outros crimes praticados entre eles a sonegação de grandes quantias de tributos federais. O esquema se baseava na utilização de empresas que emitiam notas fiscais ideologicamente falsas para acobertar a compra de café sem nota fiscal ou sem origem. A Receita estima que tais empresas foram responsáveis pela emissão de um total de R$ 1,5 bilhão em notas fiscais inidôneas, nos últimos 4 anos.

Os beneficiários do esquema eram produtores rurais que vendiam café sem emissão de nota Fiscal e grandes exportadoras do produto que, por meio da fraude praticada, não recolhiam a contribuição previdenciária (Funrural).

A operação ocorre nas cidades de Varginha, Machado e Três Pontas, em Minas Gerais. Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão.